Pack your Bags! / Faz as tuas malas!

Ok everyone, let’s put a temporary stop in Madrid Saga.

I would like to share with you a list of things that I brought with me to Madrid. I see everywhere posts and news about what you should bring to another country, but most of them apply to the ones who are about to go on vacation, which, in itself, makes all the packing quite different from moving to another country and go for work, not for leisure.

You guys should know first and foremost that this is a subjective list of things to bring when you’re moving to a different country for work, and it’s actually longer than in reality, because it’s considering the several seasons of the year. But let’s see and hope this is helpful. You might be able to understand why I got to bring so many suitcases and why they were so horrifyingly heavy and impossible to carry.

  1. Underwear – Underpants, socks, bras, boxers, take them all or most of them anyway, because you will regret the day you decided not to bring your sports bra, or those boxers with funny drawings. Take the old socks that you love to sleep in, believe me, you’ll miss them in a cold night.
  2. Pyjamas – Or whatever you use to sleep, like a large t-shirt; bring two at least.
  3. Bathroom products (shampoo, hair conditioner, toothpaste, body cream, soap, tampons, etc.) – Bring your owns, the ones that you are used to, and, when at your destiny, you will have time to find a product that suits you. It really depends on the country you are going to, but even from Portugal to Spain there are some differences, not only on the products, but on the places that sell them. For instance, the shampoo that I brought with me from Portugal, I still couldn’t find one here in Spain. So, if you bring your own, you will definitely have time to look for others brands.
  4. Medication – Either if it is your aspirin, pill, or even your bruising cream, it’s always important to have them at hand and avoids running to a pharmacy and having to explain what you need and what medication is the most suitable to you. In Brazil I had this allergy and the cream had to be sent by post because it wasn’t commercialized there. Right here in Madrid, a few days ago, I hurt my foot (again) and thankfully I had the creams that I used to treat it in the first time, and the foot is making quite a recovery.
  5. Towels – In my case there were none at my new home, so, instead of spending money on something new, I brought 3 different towels with me, different in sizes, materials and colours, which can be used for a variety of things, like in the bathroom, in the pool, to put in the grass in the park, etc.
  6. Bed sheets – In my case was necessary two sets of it. I also strongly recommend bringing your own pillow. Sometimes you don’t have luck, like me, and the pillows that you get are too high, to stiff or whatever more that could be wrong with it, and you end up with sleeping problems because you can’t adapt. I’ve been in Madrid for three weeks now and I can tell that I still quite detest the pillows that I have. My mother is coming to visit me and I’m seriously considering asking her to bring my favourite pillow from Portugal.
  7. Clothes – Bring the most that you can carry, I’m serious! The day will come when you get up and you only want to wear that specific shirt and if you don’t have it your day will be ruined. Besides, it gets pretty boring after a while always wearing the exact same clothes. Also, be prepared and take clothes for all kinds of weather.
    1. T-shirts – It’s always great to wear them in any occasion, whether it is a t-shirt more for work, or for exercise, or simply to walk around the house. Pick them well, and use them smarter.
    2. Shirts and blouses – Particularly for work, if you put one shirt you will be great for whatever kind of job you have. Besides, during the summer it’s awesome to feel thinner fabric on you, and shirts are the best option for it.
    3. Suit – You never know when you might have that important meeting, and if you don’t like dresses, a suit always looks great and professional. It sucks, but sometimes that’s the way it’s got to be.
    4. Sweaters and Jumpers – When it gets cold this is the best option, whether it is for work, and for walking in the streets. Have options and you will never be cold. I recommend bringing that huge, old sweater, that put on makes you look like a hippie, but it’s super comfortable and cute. I brought my Capoeira Sweater!
    5. Pants and Jeans – I’m all over them! Bring the most that you can, for, as I said, you don’t want to get tired of always using the same ones. Bring pants for summer and winter.
    6. Shorts and jumpsuits – These are always comfortable! Madrid is extremely hot in the summer, and I brought enough shorts for a lifetime here, but I don’t regret it at all, for they have been a lifesaver. For the ones that are uncomfortable with showing your legs, my advice is to ignore it because life is too short to worry about what other people think. It’s hot, wear shorts.
    7. Dresses – I’m not the biggest fan of dresses, but, for a girl, these are actually very useful, especially when you are sick and tired of heat and you don’t have appropriate shorts to wear to work. Dresses are great for work, like the suit, you’re always professional. Just make sure you don’t select that one dress that will show up your curves or breasts too much and you are fit for duty.
    8. Exercise clothes – Experience has taught me that this one is very very important. Take workout clothes, and I mean the whole deal. I brought all my capoeira uniform, I brought swimsuit, I brought leggings, t-shirts, sports bras, whatever. If you have them with you it will encourage you to stay fit and active, to have options to make something, and if you still don’t feel like exercising, those clothes are also awesome to walk around home or go groceries shopping, loads of options. Workout clothes are the best!
    9. Jackets – Four seasons, at least four jackets, you will need them! A light jacket, a raincoat, etc.! Jackets have their points, there’s no explaining involved. I also brought my home jacket that I use when I’m cold at home, really comfy, and it’s always a way for me to feel more at home.
  8. Footwear – Bring sandals, sneakers, work shoes, flip flops, boots, because, depending on what you’re going to do and how the weather looks, you will certainly going to need it. I enhance the power and importance of sneakers here. You can do anything with them, so don’t be afraid. Just two or three pairs in the suitcase and you won’t regret. (I wish I could bring more to be tell you the truth!)
  9. Beauty Products – I don’t like this name, but it serves the purpose. So, everything that involves health and beauty is here, from nail-clipper, cotton buds, to hairdryer, hair board, toothbrush, hair brush. Etc.!
  10. Shopping bag and Tupperware – Don’t waste money buying new things. Take a shopping bag because plastic ones pollute and put your food to work in a Tupperware.
  11. Technology – This one nowadays is quite necessary! So: computer, external disks (with movies, personal files and everything else that you might find necessary), mp3, cell phones, digital camera, electrical extension, plug adapter, pens, and, most important of all, the chargers for every equipment, otherwise you use it one time and then it gets left on some corner because it doesn’t have enough battery to work.
  12. Books – For the ones who love to read, bring your books, as many as you can fit in your suitcase. I’ve brought four with me to Madrid, and bought two more already. It has been three weeks and two are done. My mother is coming soon to visit, and I request new books, and she brings back to Portugal the ones that I read.
  13. Documents – You might need them, you never know, so be prepared.
  14. Umbrella and Kispo – If it rains you’ll be glad you brought these with you. Believe me! I had to learn it through the hard way, by getting soaking wet a few times.
  15. Others – basically everything else with which you normally live. I took these things with me: bag pack, agenda, Sudoku, markers, paint book, sleeping bag, blanket, dumbbells for exercise, sunglasses, hand blender…

I probably forgot something. But if you remember anything else let me know. Hope this helps.

See you soon.

Ana


Ok pessoal, vamos fazer uma pausa na saga de Madrid.

Gostava de partilhar a lista de coisas que trouxe comigo para Madrid. Vejo por todo o lado posts e artigos sobre o que se deve levar para outro país, mas a maior parte aplica-se para quem vai de férias, o que, por si, faz com que todo o processo seja diferente do de mudar para outro país e trabalhar lá, em vez de ir de férias.

Devem primeiro saber que esta lista de coisas que se deve trazer para outro país é totalmente subjectiva, e mais longa que na presente realidade, pois está a considerar as várias estações do ano. Mas vamos ver, esperando que seja útil. Assim, podem entender porque é que trouxe tantas malas e porque é que elas eram tão horrivelmente pesadas e impossíveis de carregar.

 

  1. Roupa interior – Cuecas, meias, soutiens, boxers, levem tudo, ou a maior parte, porque vão-se arrepender do dia em que decidiram não levar aquele soutien de desporto, ou aqueles boxers com os desenhos engraçados. Levem as meias velhas com as quais gostam de dormir, acreditem, pois vão ter saudades delas numa noite fria.
  2. Pijama – O que quer que vocês usem para dormer, como uma ti-shirt larga; tragam 2 pijamas pelo menos.
  3. Produtos de casa de banho (champô, amaciador, pasta de dentes, creme do corpo, sabão, tampões, etc.) – Tragam os vossos produtos, aqueles às quais estão acostumados, e, quando no vosso destino, têm tempo para procurar produtos que gostem. Depende do país para o qual se mudam, mas mesmo de Portugal para Espanha há diferenças, não só nos produtos, como nos locais que os vendem. Por exemplo, o champô que eu trouxe comigo de Portugal, ainda não o encontrei aqui em Madrid. Portanto, tragam as vossas coisas e depois procurem outras alternativas.
  4. Medicação – Seja a aspirina, a pílula, ou o creme das pisaduras, é sempre importante ter estas coisas à mão, e evitam-se correrias à farmácia e toda a explicação do que querem. No Brasil, eu tive uma alergia e o meu creme teve de vir pelo correio porque não era comercializado ali. Aqui em Madrid, magoei-me (outra vez) no pé e convenientemente tinha os cremes que usei para tratar o problema da primeira vez comigo, e o pé está já a recuperar.
  5. Toalhas – No meu caso não tinha nenhumas em casa, e em vez de gastar dinheiro a comprar novas, levei comigo 3 toalhas, diferentes em tamanhos, materiais e cores, que podem ser usadas para um ror de coisas, como na casa de banho, na piscina, na relva no parque, etc.
  6. Lençóis de cama – Trouxe dois conjuntos. Também vos recomendo trazerem a vossa própria almofada. Às vezes não se tem sorte e as almofadas ou são muitos altas, ou muito duras ou qualquer outra coisa pode estar errado, e acaba-se com problemas em dormir porque não nos habituamos. Estou em Madrid há três semanas e ainda detesto as minhas almofadas. A minha mãe vem-me visitar e eu estou seriamente a considerar perdir-lhe para trazer a minha almofada preferida de Portugal.
  7. Roupa – Tragam o máximo que conseguirem, estou a falar a sério! O dia vai chegar em que se levantam e querem vestir aquela t-shirt, e se não a tiverem o vosso dia fica arruinado. Para além disso, é muito aborrecido estar sempre a vestir a mesma roupa. Ah, estejam preparados e levem roupa para todo o tipo de tempo.
    1. T-shirts – É sempre altamente vestir uma t-shirt em qualquer ocasião, seja mais para o trabalho ou para fazer exercício, ou simplesmente para estar em casa. Escolham bem e usem bem.
    2. Camisas e blusas – Particularmente para o trabalho, uma camisa fica sempre bem. E no verão é sempre bom sentir o tecido fino.
    3. Fato – Nunca se sabe quando vão ter aquela reunião importante, e se não gostam de vestidos, um fato fica sempre bem e professional. É uma treta, mas às vezes tem de ser.
    4. Camisolas – Quando fica frio, estas são a melhor opção, seja para trabalhar ou para andar na rua. Tragam várias e não vão ter frio. Eu recomendo trazerem aquela camisola grande e velha, que posta parece-se um hippie, mas é super confortável e fofinha. Trouxe a minha camisola da capoeira!
    5. Calças e Ganga – São as minhas preferidas! Tragam o máximo que conseguirem e não se vão cansar de usá-las. Tragam para o verão e inverno.
    6. Calções e Macacões – Estes são muito confortáveis! Madrid é extremamente quente no verão e eu trouxe calções suficientes para uma vida inteira, mas estão a ser bem usados. Para aqueles que estão desconfortáveis em mostrar as pernas, o meu conselho é que a vida é demasiado curta para se preocuparem com o que os outros pensam. Está calor, usem calções.
    7. Vestidos – Não sou a maior fã de vestidos, mas, para uma rapariga, eles são úteis, especialmente quando o calor é demasiado e não se tem calções de trabalho. Os vestidos são óptimos para trabalhar. Certifiquem-se que não escolhem aquele que mostra muito as curvas ou o peito e está tudo bem.
    8. Roupa de exercício – A experiência ensinou-me que este ponto é muito importante. Levem roupa para fazer exercício. Eu trouxe a roupa da capoeira, o fato de banho, leggings, t-shirts, soutiens de desporto, enfim. Se os têm, então são mais encorajados para fazer exercício e estarem activos, e mesmo que não vos apeteça exercitar, é sempre altamente andar pela casa, ou ir às compras com esta roupa.
    9. Casacos – Quatro estações, quarto casacos. Uma casaco fino, um casaco de chuva, etc.! Os casacos têm a sua utilidade e mais não é preciso explicar.
  8. Sapatos – Tragam sandálias, sapatilhas, sapatos, chinelos, botas, porque, dependendo do que vão fazer e de como está o tempo, vão precisar de qualquer um destes sapatos. Sublinho a importância das sapatilhas. Pode-se fazer tudo com elas. Só dois ou três pares na mala e não se vão arrepender. (Quem me dera poder levar mais!)
  9. Produtos de beleza – Não gosto deste nome mas serve o propósito. Tudo o que involve saúde e beleza está aqui, desde corta-unhas, cotonetes, ao secador de cabelo, a prancha, a escova de dentes, escova de cabelo, etc.!
  10. Saco de compras e tupperware – Não gastem dinheiro cm coisas novas. Levem um saco de compras porque os de plástico poluem e ponham a comida para o trabalho num tupperware.
  11. Tecnologia – Hoje em dia esta é necessária! Portanto: computador, discos externos (com filmes, documentos pessoais, e tudo o que achem necessário), mp3, telemóveis, câmera, extensão eléctrica, adaptador, pens, e, o mais importante, os carregadores disto tudo, caso contrário usa-se uma vez e depois ficam num canto porque já não têm mais bateria.
  12. Livros – Para aqueles que gostam de ler, levem livros, o máximo que conseguirem pôr na mala. Trouxe quatro comigo para Madrid e já comprei dois aqui. Já cá estou há três semanas e dois já foram. A minha mãe vem visitar, traz-me mais e leva os que já li.
  13. Documentos – Podem ser precisos, mais vale prevenir do que remediar.
  14. Guarda-chuva e Kispo – Se chover, vão ficar contentes de os terem trazido, acreditem. Eu tive de aprender da pior forma, a ficar encharcada umas quantas vezes.
  15. Outros – Basicamente tudo com o qual fazem uma vida. Eu trouxe estas coisas: mochila, agenda, Sudoku, marcadores, livros de pintar, saco de cama, cobertor, pesos de exercício, óculos de sol, varinha mágica, …

Provavelmente esqueci-me de alguma coisa. Mas se se lembrarem é só dizer. Espero que ajude.

Até breve

Ana

Advertisements

Goodbye Portugal! / Adeus Portugal!

Hi guys. I know I said that after my last post I would have time to come here and write, but I was wrong.

The time flew as I was getting ready to change countries once again for 6 months. It was an entire month of goodbyes and planning and organizing stuff, of a few cries and deal breakers. The month of June was a huge pile of emotions and things to do, essentially to say goodbye and prepare for the new adventure.

In the beginning of June I actually had the chance to see one great friend getting married. I have to admit that I left my tears go down my face. I was a bit surprised, for I’m not the person to cry on weddings, but as I was watching a girl with whom I grew up with, in a huge beautiful wedding dress, walking down the aisle with the happiest smile of all time, it was impossible for me not to get emotional and cry like there was no tomorrow. That day was one of those days to remember!

The priest thought he was very funny and actually spoke divorce in the middle of a very confusing sermon. Only god knows what was going on in his head! I lost count of how many gins I drank (during the party) and I taught my friend Pedro to dance Samba. I found in the middle of the desert table a very god cheesecake and a space in my not so much resistant stomach to eat it, because we can’t ever say no to cheesecake. The night ended with fireworks thrown into the air to celebrate the union of one more couple. I handled wearing a dress for the entire day and sandals with a tiny bit of a heel. But, as a confession, I did think a few times about my All-Stars, and why I love them so much, they are comfortable!

Other thing that made June quite special was the fact that I spent my first day of the year, and probably the only one, on the beach. Espinho it’s known for its terrifying north wind and freezing waters, but I had this amazing luck of not catching one single breeze and the water, despite of being extremely cold, was very agreeable. I took my first dive and enjoyed one last time before leaving this part of Espinho which everybody, somehow, loves. I also took the day to bring Kelly, a new friend, to see the beach and try out the freezing water.

Kelly is my grandma’s recently adopted dog. She spent her first three years of life trapped in a balcony, and when I first started walking with her she was afraid of everything, including feet and grass. After a few months, I took her to the beach and gave her a taste of freedom and sea water and I think she liked it. I greatly miss my best friend, but now I can give my love to this new friend that also needs it.

My last weekend was also pretty awesome. I said goodbye to Capoeira but only to start again in Madrid, in a different group, because there’s no Senzala in Madrid (for now!). The Group in Porto got a very nice surprise from the Master Pélé who came to participate in our circle of Capoeira, and give us motivation to continue. Unfortunately, I came to know that my Professor, Pedro, was a bit demotivated with the way things are going on, because we’re still a very small group. Even so, that circle was so motivating, so invigorating and so fun that I truly believe Pedro gained a lot of strength for what is coming next year, to never give up, and keep trying. He wants to teach Capoeira and he can do it, with a lot of work, patience and time. And now he has a future student coming in to the world, for he’s going to be a father in the beginning of the next year.

For me was the perfect goodbye. I played Capoeira for about 4 hours nonstop, and then spent some time talking with this great master, that so much reminds me of my own Master Flávio from São Paulo, and the great friends that I made in this world of Capoeira. I once heard that Capoeira is more than a way of life, is like a marital status. I believe I’m married to it.

It also happened a lot of things that don’t require must insight: I said goodbye to some great friends, with promises of seeing each and every one of them very soon; became single (because some things are not meant to last forever); became thinner and healthier (a story for another time); and something else that right now I can’t remember!

A special mention to a special group of friends: this group has come a long way. We met in 2007 in Boston and we have been very good friends ever since. My second to last day in Portugal was spent with them, to celebrate a birthday. I miss them already, but as photography has proved to them, I carry them with me in this awesome Polaroid photograph that we took.

So, what else? I found a home to stay in Madrid for 6 months. Every time I travel is different! In Brazil I actually walked from street o street, apartment after apartment in the hope that I could find accommodation. This time I found a house to Madrid three weeks in advance, spaced, in a very good location with everything up and ready. The girl that talked to me was very nice, but unfortunately she was the one that I wouldn’t meet because I was getting her room.

House ready, all the documents required, contract signed, I had to go to the most difficult part and definitely not my favourite one: the list of things that I had to bring and pack in my (huge and heavy) bags.

Do you know some Travel Bloggers? I actually admire everything they do, and one of those things is the ability of detach from things that are not really necessary. I believe I can do it at a certain point. I did it a few times already (a conversation for some other time), but this time was pretty difficult, because, unlike these awesome bloggers that can pack very simple things, I had to pack all these clothes to wear to work, and unfortunately I can’t simply wear shorts, t-shirts and sneakers, but a pretty well thought set of clothes.

And besides, I will live in Madrid, I’ll definitely explore it like a tourist, and in the future almost like a native, but I’m living there. I don’t know about you guys, but I love my movies, my sneakers, and my hand blender (a true friendship between me and a household appliance that makes soup). So, in conclusion, I filled two suitcases – the bigger ones that you buy to move to another country without coming back for a year, worthy of at least 32 kg each -, my sleeping bag, another bag filled with stuff that my mother thought ridiculous for me to bring – like my markers and my book to colour (to which I’m addicted) -, and a few packs of cheese bread to make at home (I couldn’t risk not existing in the supermarkets of Madrid). And, to add to everything, there was my companion of several years, my Eastpack, with more than 12 years old, and still ready for the craziest of the adventures.

So am I ready to go? Even if I wasn’t, time ran out and it was time to go on another adventure. There was I in the train station of my home town, with close family saying goodbye. My mum was too much worried on how I would be able to carry all my heavy and large bags throughout this journey. I said something like: ”Don’t worry about that Big Mama, I’ve been doing strength training just to prepare for this moment!”. Not entirely true, but it worked!

Madrid is about 1h distance by plane from Porto. About 6 hours by car, and about 9 hours by train. No idea how long it takes by bus. I took the train with no space to do anything, not even for my advantaged bags. The ticket man was so upset with me that I thought he was not going to let me in. I lied and said that I was going away for an entire year and that I wouldn’t be able to return to Portugal for that period of time, that I had to be prepared. He still complained, but let me him in the train. I slept more or less fine, and arrived in Madrid fresh to carry the bags and put them in taxi, that took me to my new home.

So, for now, goodbye Portugal, and hello Spain.

Now I hope to tell you all about my experiences here in Madrid, and hopefully some other places in Spain that I intend to visit, depending on my availability to travel.

I’ll be here now. Let’s put this blog on the track again.

See you guys soon

Ana


Olá pessoal. Eu sei que disse no último post que teria mais tempo para vir para aqui escrever, mas a coisa esteve difícil.

O tempo voou entre as preparações para mudar novamente de país durante 6 meses. Foi um mês de despedidas, de organização e planeamento de várias coisas, de choradeira e fim de relações. O mês de Junho foi um monte de emoções e de coisas para fazer, essencialmente para dizer adeus e preparar para a nova aventura.

No início de Junho tive a oportunidade de ver uma grande amiga casar. Tenho de admitir que deixei as lágrimas cairem pela cara abaixo. Fiquei um pouco surpreendida, pois não sou o tipo de pessoa que chora em casamentos, mas ao ver aquela rapariga com quem cresci, num bonito e fantástico vestido de noiva, a subir ao altar com o sorriso mais feliz que alguma vez lhe vi, foi impossível não ficar emocionada e chorar como se não houvesse amanhã. Aquele dia é um daqueles dias que é para lembrar!

O padre devia estar certamente a pensar que era muito engraçado ao ponto de falar em divórcio no meio de um sermão muito confuso. Só deus sabe o que se estava a passar na cabeça dele! Perdi a conta dos gins que bebi (durante a festa) e ensinei o meu amigo Pedro a dançar samba. Encontrei no meio da mesa das sobremesas um cheesecake delicioso e um espaço no meu estômago pouco resistente para o comer, porque nunca se pode dizer que não a cheesecake. A noite acabou com fogo de artifício para celebrar a união de mais um casal. Passei o dia de vestido e sandálias com um pouco de tacão. Mas, confesso, que pensei várias vezes nas minhas All-Stars e o porquê de gostar tanto delas, são mesmo muito confortáveis.

Outra coisa que fez de Junho um mês especial foi o meu primeiro dia do ano de praia. Espinho é conhecido pela nortada terrível e pela água gelada, mas eu tive a grande sorte de não apanhar sequer uma brisa, e a água, apesar de gelada, estava muito agradável. Dei o meu primeiro mergulho e desfrutei daquela particularidade de Espinho que toda a gente, de alguma forma, adora. Tirei também o dia para levar a Kelly, a minha nova amiga, a conhecer a praia e a experimentar a água gelada.

A Kelly é a cadela recém adoptada da minha avó. Ela passou os primeiros três anos da vida dela fechada numa varanda, e quando comecei a passear com ela tinha medo de tudo, incluindo pés e relva. Depois de alguns meses, levei-a até à praia para saborear o sabor da liberdade e da água do mar, e penso que ela gostou. Tenho muitas saudades do meu melhor amigo, mas agora posso dar muito carinho a esta nova amiga que também precisa.

O meu último fim de semana também foi altamente. Disse adeus à Capoeira, apenas para começar outra vez, num grupo diferente, porque não há Senzala em Madrid (para já!). O grupo do Porto recebeu uma boa surpresa do Mestre Pélé, que veio participar na nossa Roda de Capoeira, e dar-nos motivação para continuar. Vim a saber que, infelizmente o meu Professor, o Pedro, andava um pouco desmotivado com o desenrolar das coisas, pois ainda somos um grupo muito pequeno. Mesmo assim, a Roda foi tão motivadora, tão revigorante e tão divertida que acredito sinceramente que o Pedro ganhou mais força para o próximo ano, para não desistir, e continuar a tentar. Ele quer ensinar Capoeira, ele vai conseguir, com muito trabalho, paciência e tempo. E agora ele tem um futuro estudante a vir ao mundo, pois ele vai ser pai no início do próximo ano.

Foi a despedida perfeita. Joguei Capoeira durante umas 4 horas sem parar, e depois estive mais algum tempo na conversa com o mestre, que tanto me faz lembrar o meu mestre Flávio de São Paulo, e com os novos amigos da Capoeira. Uma vez ouvi que a Capoeira era mais do que um modo de vida, é um estado civil. Acredito que seja casada com a Capoeira.

Aconteceram também um ror de coisas que não requerem muito pormenor: disse adeus aos amigos, com promessas de ver cada um em breve; fiquei solteira (porque há coisas que não foram feitas para durar para sempre); fiquei mais magrinha e saudável (uma história para outra altura); e algo mais que agora não me consigo lembrar!

Uma menção especial a um grupo especial: este grupo tem já uma longa história. Conhecemo-nos em 2007 em Boston e somos amigos desde então. O meu penúltimo dia em Portugal foi passado com eles para celebrar um aniversário. Já tenho saudades, mas como a fotografia já lhes provou, trago-os comigo numa foto Polaroid altamente que tirámos.

Então, que mais? Encontrei casa para ficar em Madrid por 6 meses. Sempre que viajo é diferente! No Brasil, tive de andar de rua em rua, apartamento após apartamento na esperança de encontrar casa. Desta vez encontrei uma com três semanas de antecedência, espaçosa, numa boa localização com tudo pronto. A rapariga com quem falei foi muito simpática, mas infelizmente foi quem eu não pude conhecer, pois fiquei com o quarto dela.

Casa pronta, todos os documentos reunidos, contrato assinado, só me faltava a parte mais difícil, que definitivamente não é a minha favorita: a lista das coisas que tinha de levar e pôr dentro das minhas (grandes e pesadas) malas.

Conhecem alguns Bloggers viajantes? I admiro grande parte do que fazem, e uma delas é a capacidade para se desprenderem de coisas que na realidade não são necessárias. Eu acredito que o consigo fazer até certo ponto. Já o fiz várias vezes (uma conversa para outra altura), mas desta vez foi um tanto difícil, porque, ao contrário deste bloggers fantásticos que só seleccionam coisas simples, eu tive de pôr na mala um monte de roupa para trabalhar e, infelizmente, eu não posso simplesmente andar de calções, t-shirts e sapatilhas, mas antes um bem pensado conjunto de roupa.

Tudo muito bonito mas eu estou a viver em Madrid, a explorar a cidade como uma tourista, e no futuro quase como uma nativa, mas estou cá a viver. Não sei como é com vocês, mas eu adoro filmes, as minhas sapatilhas, e a minha varinha mágica (a verdadeira amizade entre uma pessoa e um electrodoméstico que faz sopa). Então, em conclusão, eu preenchi duas malas – as maiores que se podem comprar quando se muda para outro país sem voltar durante um ano, dignas de, pelos menos, 32 kg cada uma -, o meu saco de cama, outro saco cheio de coisas que a minha mãe achou ridículo para eu trazer – como os meus marcadores e o meu livro para colorir (ao qual eu estou viciada) -, e uns quantos pacotes de pão de queijo para fazer em casa (porque eu não podia arriscar não haver à venda nos supermercados de Madrid). E, a adicionar a tudo isto, a minha companheira de vários anos, a minha Eastpack, com mais de 12 anos, e ainda pronta para a mais louca das aventuras.

Estava pronta para ir? Mesmo que não estivesse, o tempo acabou e chegou a altura de partir noutra aventura. Lá estava eu na estação de comboio da minha terra, com a família a dizer adeus. A minha mãe estava demasiado preocupada em como é que eu ia conseguir carregar todas aquelas grandes e pesadas malas naquela viagem. Eu disse-lhe algo do género: “Não te preocupes Big Mama, que tenho andado a fazer treino de força só para me preparar para este momento!”. Não é totalmente verdade, mas resultou!

Madrid fica a 1h de distância de avião a partir do Porto. Fica a cerca de 6 horas de carro, e a cerca de 9h de comboio. Não faço ideia de quanto demora de autocarro. Apanhei o comboio sem espaço para nada, nem mesmo para as minhas malas avantajadas. O pica ficou tão zangado comigo que eu pensei que ele não me ia deixar entrar. Menti e disse que ia estar fora 1 ano sem possibilidade de voltar, e que tinha de ir preparada. Continuou a queixar-se mas ao menos deixou-me entrar. Dormi mais ou menos bem dentro do possível e cheguei a Madrid fresca para carregar as malonas e metê-las no táxi que me levou até à nova casa.

Portanto, por agora, adeus Portugal, e Olá Espanha.

Agora espero poder contar-vos todas as minhas experiências aqui em Madrid e, se tudo correr bem, em outros lugares de Espanha que tenho intenções de visitar, dependendo da minha disponibilidade.

Por agora estou aqui. Vamos lá pôr este blog a correr outra vez.

Até breve.

Ana