Living alone… / Viver sozinha…

With every step you take, you learn something new about yourself and about your life. I believe this is inevitable, even though most times you don’t recognise it to yourself or even realise it.

Everyone goes through the different stages of life and right now I’m going through the living alone phase. I suppose this day had to come, – and thank goodness -, because a few years back, no woman had that opportunity. Rather had to live with her parents and then move to the husband’s house. How that sucks! I deeply apologize if I offend anyone, I do respect those who chose to live like this, I pity the ones that never had a choice, and I rejoice for the ones that are living freely, exactly as they want to.

Living alone has a lot to tell, and I’m finally experiencing that, and I love it. I’ve lived for three months in Poland and six more in Brazil, without the family, but I wasn’t entirely alone, because I went with people that were in the exact same situation as me. That’s totally different from now, here in Madrid, because I came entirely alone. I live with three more people, but they know each other for a few years now, they are friends, they speak the same language… But that is not a bad thing. Quite the contrary I find.

Living alone is so much more than going grocery shopping alone or decide what you are going to eat. It’s more than going places alone or find some new friends. Living alone, particularly in a foreign country, is all about adapting to a new complete way of life, because your life changes whether you like it or not. It’s about counting on you to live, to be independent enough without being afraid of going out alone; of not minding you don’t always have company for something, learning to have fun alone, and of it all, to be happy. You make yourself happy; no one can do it for you. That seems so obvious don’t you think? But I realised it’s not so evident for some people.

This Saturday I accompanied my house mates for dinner and drinks and we had the best time. In the restaurant there was a banana on the wall (yes a banana!) and I sent an awesome picture to a dear friend to remind her of great times together. While taking the picture I couldn’t stop laughing. It’s a private joke that really brings back awesome memories. Someone came to me and said “You really don’t need anybody; you have a party and the best time all by yourself!”

Was this a compliment, a critic? What? There are uncountable interpretations for such a phrase. Regardless if it has positive or negative meaning, I take it as a very positive thing. It means I’m just fine! It means I’m independent, free and happy. It also means that I’m definitely not alone and that I enjoy myself, alone or accompanied.

That night was pretty awesome, for I got to know better my house mates and even get to meet more people. All of this with an intensive practice of the Spanish language. There’s nothing like good company and sangria to make me talk like a true Spanish native, or some close version of it!

I might talk about living alone a few times from now on, there’s a lot to be told about this. So, wait for it… I decided to cut my posts to one page, I believe it’s better.

Cheers to living alone.

Ana


A cada passo que se dá, aprende-se algo novo sobre nós ou sobre a nossa vida. Eu acredito que isto é inevitável, apesar de a maior parte das vezes não o reconhecermos a nós próprios ou sequer nos apercebemos.

Toda a gente passa pelas diferentes fases da vida e neste momento estou passar pela fase de viver sozinha. Este dia tinha de vir, – e ainda bem -, porque há uns anos atrás, nenhuma mulher tinha esta oportunidade. Antes tinha de viver com os pais e depois mudar-se para a casa do marido. Que treta! Peço desculpa se ofendo alguém; eu respeito quem escolheu viver assim, tenho pena de quem nunca teve essa escolha, e alegro-me por quem vive livremente, tal como quer.

Viver sozinho tem muito que se lhe diga, e estou finalmente a experienciá-lo, e adoro. Vivi três meses na Polónia e mais seis no Brasil, sem a família, mas não estava totalmente sozinha, pois fui com pessoas que estavam exactamente na mesma situação que eu. Totalmente diferente da presente situação, aqui em Madrid, pois vim inteiramente sozinha. Vivo com mais três pessoas, mas conhecem-se há vários anos, são amigos, falam a mesma língua… O que não é mau. Antes pelo contrário.

Viver sozinha é muito mais que ir às compras sozinha ou decidir o que vou comer. É mais do que sair sozinha ou encontrar novos amigos. Viver sozinha, principalmente num país estrangeiro, é tudo uma adaptação a um novo modo de vida, pois a vida muda, quer a gente queira ou não. É sobre contares contigo próprio para viver, ser independente o suficiente para não teres medo de sair sozinha; de não te importares com o facto de não teres sempre companhia, aprender a divertires-te sozinha, e, de tudo, a ser feliz. Tu fazes-te feliz; ninguém o pode fazer por ti. Parece tão óbvio não acham? Mas apercebi-me que não é assim tão evidente para algumas pessoas.

Este sábado fui jantar com os meus colegas de casa, e divertimo-nos imenso. No restaurante estava uma banana na parede (sim uma banana!) então tive de mandar uma grande foto a uma amiga, para a relembrar dos bons velhos tempos. Enquanto a tirar a fotografia não conseguia parar de rir. É uma piada privada que representa um todo conjunto de grandes memórias. Alguém veio até mim e disse-me: “Não precisas mesmo de ninguém; fazes a tua festa e a tua diversão sozinha!”

Foi um elogio, uma crítica? O quê? Para tal frase há muitas interpretações. Independentemente do seu sentido positivo ou negativo, eu tomo isto como algo muito bom. Quer dizer que eu estou bem! Quer dizer que sou independente, livre e feliz. Também quer dizer que não estou sozinha e que me divirto, sozinha ou acompanhada.

Aquela noite foi altamente, pois passei a conhecer melhor os meus companheiros de casa e ainda pude conhecer pessoas novas. E tudo isto com uma prática intensiva da língua espanhola, ou uma versão próxima!

Sou capaz de falar mais vezes sobre viver sozinha, pois tenho muito para dizer. Portanto, esperem por isso… Decidi fazer posts mais pequenos, é melhor.

Viva ao viver sozinho.

Ana

Advertisements