Living alone… / Viver sozinha…

With every step you take, you learn something new about yourself and about your life. I believe this is inevitable, even though most times you don’t recognise it to yourself or even realise it.

Everyone goes through the different stages of life and right now I’m going through the living alone phase. I suppose this day had to come, – and thank goodness -, because a few years back, no woman had that opportunity. Rather had to live with her parents and then move to the husband’s house. How that sucks! I deeply apologize if I offend anyone, I do respect those who chose to live like this, I pity the ones that never had a choice, and I rejoice for the ones that are living freely, exactly as they want to.

Living alone has a lot to tell, and I’m finally experiencing that, and I love it. I’ve lived for three months in Poland and six more in Brazil, without the family, but I wasn’t entirely alone, because I went with people that were in the exact same situation as me. That’s totally different from now, here in Madrid, because I came entirely alone. I live with three more people, but they know each other for a few years now, they are friends, they speak the same language… But that is not a bad thing. Quite the contrary I find.

Living alone is so much more than going grocery shopping alone or decide what you are going to eat. It’s more than going places alone or find some new friends. Living alone, particularly in a foreign country, is all about adapting to a new complete way of life, because your life changes whether you like it or not. It’s about counting on you to live, to be independent enough without being afraid of going out alone; of not minding you don’t always have company for something, learning to have fun alone, and of it all, to be happy. You make yourself happy; no one can do it for you. That seems so obvious don’t you think? But I realised it’s not so evident for some people.

This Saturday I accompanied my house mates for dinner and drinks and we had the best time. In the restaurant there was a banana on the wall (yes a banana!) and I sent an awesome picture to a dear friend to remind her of great times together. While taking the picture I couldn’t stop laughing. It’s a private joke that really brings back awesome memories. Someone came to me and said “You really don’t need anybody; you have a party and the best time all by yourself!”

Was this a compliment, a critic? What? There are uncountable interpretations for such a phrase. Regardless if it has positive or negative meaning, I take it as a very positive thing. It means I’m just fine! It means I’m independent, free and happy. It also means that I’m definitely not alone and that I enjoy myself, alone or accompanied.

That night was pretty awesome, for I got to know better my house mates and even get to meet more people. All of this with an intensive practice of the Spanish language. There’s nothing like good company and sangria to make me talk like a true Spanish native, or some close version of it!

I might talk about living alone a few times from now on, there’s a lot to be told about this. So, wait for it… I decided to cut my posts to one page, I believe it’s better.

Cheers to living alone.

Ana


A cada passo que se dá, aprende-se algo novo sobre nós ou sobre a nossa vida. Eu acredito que isto é inevitável, apesar de a maior parte das vezes não o reconhecermos a nós próprios ou sequer nos apercebemos.

Toda a gente passa pelas diferentes fases da vida e neste momento estou passar pela fase de viver sozinha. Este dia tinha de vir, – e ainda bem -, porque há uns anos atrás, nenhuma mulher tinha esta oportunidade. Antes tinha de viver com os pais e depois mudar-se para a casa do marido. Que treta! Peço desculpa se ofendo alguém; eu respeito quem escolheu viver assim, tenho pena de quem nunca teve essa escolha, e alegro-me por quem vive livremente, tal como quer.

Viver sozinho tem muito que se lhe diga, e estou finalmente a experienciá-lo, e adoro. Vivi três meses na Polónia e mais seis no Brasil, sem a família, mas não estava totalmente sozinha, pois fui com pessoas que estavam exactamente na mesma situação que eu. Totalmente diferente da presente situação, aqui em Madrid, pois vim inteiramente sozinha. Vivo com mais três pessoas, mas conhecem-se há vários anos, são amigos, falam a mesma língua… O que não é mau. Antes pelo contrário.

Viver sozinha é muito mais que ir às compras sozinha ou decidir o que vou comer. É mais do que sair sozinha ou encontrar novos amigos. Viver sozinha, principalmente num país estrangeiro, é tudo uma adaptação a um novo modo de vida, pois a vida muda, quer a gente queira ou não. É sobre contares contigo próprio para viver, ser independente o suficiente para não teres medo de sair sozinha; de não te importares com o facto de não teres sempre companhia, aprender a divertires-te sozinha, e, de tudo, a ser feliz. Tu fazes-te feliz; ninguém o pode fazer por ti. Parece tão óbvio não acham? Mas apercebi-me que não é assim tão evidente para algumas pessoas.

Este sábado fui jantar com os meus colegas de casa, e divertimo-nos imenso. No restaurante estava uma banana na parede (sim uma banana!) então tive de mandar uma grande foto a uma amiga, para a relembrar dos bons velhos tempos. Enquanto a tirar a fotografia não conseguia parar de rir. É uma piada privada que representa um todo conjunto de grandes memórias. Alguém veio até mim e disse-me: “Não precisas mesmo de ninguém; fazes a tua festa e a tua diversão sozinha!”

Foi um elogio, uma crítica? O quê? Para tal frase há muitas interpretações. Independentemente do seu sentido positivo ou negativo, eu tomo isto como algo muito bom. Quer dizer que eu estou bem! Quer dizer que sou independente, livre e feliz. Também quer dizer que não estou sozinha e que me divirto, sozinha ou acompanhada.

Aquela noite foi altamente, pois passei a conhecer melhor os meus companheiros de casa e ainda pude conhecer pessoas novas. E tudo isto com uma prática intensiva da língua espanhola, ou uma versão próxima!

Sou capaz de falar mais vezes sobre viver sozinha, pois tenho muito para dizer. Portanto, esperem por isso… Decidi fazer posts mais pequenos, é melhor.

Viva ao viver sozinho.

Ana

Advertisements

Colourful weekend / Fim de semana colorido

Colourful weekends are the best don’t you think?

I really do think so, and that’s why I greeted with great excitement an invitation to check out the Holi Colour Madrid, that happened last Saturday, the 13th.

I do apologise, but this is not going to be a very long post, I don’t know if you prefer the shorter ones…

So, work goes on and on, every day something new to learn and do, and the truth is that I actually love it, which is more than many people can say about their work. And for a great bonus, I have to honour of being part of a team that is fantastic, simply great. You get engaged in this job, to the point of reaching the end of a day’s work and loving what you did and wanting to come back the next day.

Last Friday one of team came to invite us to watch him perform in the event of Holi Colour. All we had to bring was a white shirt. “Cool” I thought. Because even though these kinds of things are much more fun when accompanied, going alone was the greatest idea of all.

This event was in Lavapies, pretty far from where I live in, but I took the challenge and went on foot, with my camera on my bag pack, ready to catch some nice moments. The event was called Monsoon Holi Madrid (http://monsoonholimadrid.blogspot.com.es/) and when I arrived it had already started, and it was in its highest point. The square of Augustín Lara, that’s not a particularly big square, was filled with people covered in different colours, dancing quite energetically to the sound of a music that reminded Bollywood remixes. How cool is that?

monsoon-holi-Madrid-2016-tiradas-de-colores-horario-holi- OK.jpg

Check out the promotional video:

https://www.youtube.com/watch?v=_J1-XFXwAnE

As I was alone, I took the opportunity to practice photography, so I took my camera off, only to have a girl shouting out at me “no, no, no!”. I looked at her and asked what was wrong. This is quite amazing, but the girl asked me if she could through some paint at me. I smiled and without even thinking about it I said if we wanted to, she had my permission. She asked me to hide my camera first, for I was still putting some plastic to protect it from the paint, and threw some red, yellow and orange paint at me.

The sensation of being covered in colourful colours is actually pretty awesome, but it got even greater when the girl said last to me that if I was in an event like that one, I would definitely had to be covered in paint, even if I was just there to take pictures. I took a few pictures of her group of friends, whose faces showed that they were having a great time, and thanked her for having wasted her own paint on me.

DSC_0118.JPG

What was my surprise when I look to the stage and saw my teammate preparing to dance. It’s inevitable: the music makes you laugh like crazy, but if it didn’t, the outfits and the laughs of happiness would. I’m not saying this in an ironic way, quite the contrary.

Check out this link to see the event:

https://www.youtube.com/watch?v=guX19bcwCJk

https://www.youtube.com/watch?v=yX0VZOq3kCQ

Even the news channel was there:

https://www.youtube.com/watch?v=BOhqgeXpGTM

This next video, You can actually see my teammate dance. Just a clue, he has a yellow hat!

https://www.youtube.com/watch?v=0iCnNPIUN2s

You guys must know the typical Indian outfits. They look very comfortable to begin with, but the colours are just so vivid, it’s a shame that in Europe we don’t use these colours so much.

Now the dance! You won’t believe how cool they are. Sure you can watch on youtube (the links show a bit of it), but is not as nearly as fun as watching it live and having that curiosity on trying. And besides, if you care to do some cardio but you hate to run (like me) you absolutely have to try Indian dance. Jump jump jump, move your arms and jump jump jump jump! It’s fun really!

DSC_0319.JPG

Well guys, I told you this was not going to be a very long post, but still, my advice is that you definitely have to try and participate in this event, for it’s much more traditional than the colour run, for instance. Instead of the usual techno music, that bores me to death, you have typical Indian music, for this colour throwing started in Indian. And the event is totally free. From time to time paint is released, and you can acquire your own if you like. I also recommend trying to dance to some of this music. It is fun, it’s really fun.

 

Hope you guys enjoy it and I’ll see you soon!

Ana


Fins de semana coloridos são os melhores, não acham?

Eu realmente penso que sim, e foi por isso que recibi com grande entusiamo um convite para participar na Holi Colour Madrid, que decorreu no passado sábado, 13 de Agosto.

Peço desculpa, mas este post não vai ser muito longo, mas não sei se os preferem assim…

Então o trabalho continua, e todos os días há que fazer e algo novo para aprender, e a verdade é que estou a adorar, o que é bem mais do que a maior parte das pessoas pode dizer àcerca do seu trabalho. E como grande bonus, eu tenho a honra de trabalhar com pessoas que são fantásticas, altamente mesmo. Envolvo-me neste trabalho, ao ponto de chegar ao fim do dia e adorar o que fiz e querer voltar no dia seguinte.

Na passada sexta feira, um membro da equipa veio convidar-nos para o ir ver actuar no evento de Holi Colour, só tínhamos de trazer uma tshirt branca. “Altamente” pensei eu. Porque, apesar de este tipo de eventos ser bem mais divertido quando acompanhada, ir sozinha foi até uma grande ideia.

O evento foi em Lavapies, bem longe de onde vivo, mas aceitei o desafio de ir a pé com a máquina fotográfica na mochila, pronta para apanhar uns bons momentos. O evento chama-se Monsoon Holi Madrid (http://monsoonholimadrid.blogspot.com.es/), e quando lá cheguei já tinha começado, mas estava no seu mais alto ponto. A praça de Augustín Lara, que não é muito grande, estava cheia de pessoas cobertas de diferentes cores, a dançar energiticamente ao som de músicas que lembravam remixes de Bollywood. O quão altamente é isso?

monsoon-holi-Madrid-2016-tiradas-de-colores-horario-holi- OK.jpg

Vejam só o vídeo promocional:

https://www.youtube.com/watch?v=_J1-XFXwAnE

Eu estava sozinha, então aproveitei a oportunidade para praticar fotografía, então saquei da câmara, quando me apercebi que tinha uma rapariga a gritar “Não, não, não!”. Olhei para ela e perguntei-lhe que é que se passava. Isto foi incrível, mas a rapariga perguntou-me se podia atirar-me tinta. Eu sorri e sem sequer pensar muito nisso disse-lhe que se ela o queria fazer, que tinha a minha permissão. Pediu-me para esconder a câmara, pois ainda estava a colocar o plástico para proteger da tinta, e atirou-me tinta vermelha, amarela e laranja.

A sensação de estar coberta de cores diferentes por acaso é mesmo fixe, mas ficou melhor quando a rapariga me disse por último que num evento daqueles eu tinha mesmo de estar coberta de tinta, mesmo que fosse só para tirar fotografías. Tirei algumas ao grupo de amigos dela, cujas caras mostravam que se estavam mesmo a divertir, e agradeci-lhe por ter gasto a tinta dela em mim.

DSC_0118.JPG

Qual é a mina surpresa quando olho para o palco e vejo o membro da equipa a dançar. É inevitável: a música dá vontade de rir, mas se não desse, as fatiotas e os sorrisos de felicidade tratavam do assunto. Não digo isto de forma irónica, antes pelo contrario.

Vejam só os links do evento:

https://www.youtube.com/watch?v=guX19bcwCJk

https://www.youtube.com/watch?v=yX0VZOq3kCQ

Até o jornal lá esteve:

https://www.youtube.com/watch?v=BOhqgeXpGTM

Neste video é possível ver o meu colega. Só uma pista, tem um “chapéu” amarelo:

https://www.youtube.com/watch?v=0iCnNPIUN2s

Toda a gente conhece os trajes indianos. São muito confortáveis e as cores são tão vivas que é uma pena não se usarem tanto na Europa.

Agora a dança! Não vão acreditar no quão fixe é. Claro que podem ver no Youtube (os links mostram um pouco), mas não é tão divertido como ver ao vivo e ter aquela ponta de curiosidade em experimentar. E para além disso, se querem fazer um pouco de cardio mas detestam correr (como eu), têm mesmo de experimentar esta dança. Saltar saltar saltar, mexer os braços, saltar saltar saltar saltar! É mesmo divertido!

DSC_0319.JPG

Bem pessoal, eu disse que não ia ser um post muito grande, mas o conselho é que têm de participar neste evento, pois é bem mais divertido que, por exemplo, o colour run. Em vez de música tecno, que me dá dores de cabeça, há música tradicional, pois esta tradição começou na Índia. E o evento é totalmente grátis. De tempo a tempo libertam tinta, mas para quem quiser, dá para comprar pequenos sacos. Também recomendo experimentarem a dança. É divertida, é altamente!

Espero que gostem, e até breve!

Ana