Viagem ao Brasil: os bons sítios (dia 4) / Trip to Brazil: the good places (day 4)

Olá! A aventura no Brasil continua com o dia 4, a 11 de Dezembro de 2015.

Desta vez fui até à estação da Luz para começar o dia de uma forma tão perturbante como curiosa. Ao aproximar-me da estação de comboios, vejo a multidão do costume, típica das grandes cidades como São Paulo, e, completamente alienada de toda a excitação de outro dia de trabalho, uma mulher, provavelmente sem-abrigo e muito provavelmente cega (da ganza), a dançar samba ao som de uma música mistério no seu mp3. Isto reforça o que disse no meu último post, que apesar de toda a miséria do Brasil, as pessoas encontram a sua felicidade. Mas não muda o facto de continuar a ser algo muito triste, do ponto de vista de ser inegável o estado horrível em que se encontram algumas pessoas.

Passando a multidão para o outro lado da estação, atravessei a rua para visitar, finalmente, a Pinacoteca, uma espécie de um museu. Toda a informação pode ser encontrada aqui:

http://www.pinacoteca.org.br/

Mesmo em frente, está o Museu da Língua Portuguesa, que visitei em Julho de 2015, e que, ironicamente ardeu exactamente uma semana depois de eu sair do Brasil. Pessoalmente fiquei mesmo triste, pois gostava mesmo muito daquele museu. Era muito interactivo, e cheio de curiosidades, não debatendo apenas as suas origens na colonização portuguesa, mas também explorando a influências culturais e linguísticas indígenas. Bem, suponho que o Governo vá fazer alguma coisa, e talvez torne o museu ainda melhor do que estava.

Perdi-me na Pinacoteca, não pela sua grandeza, mas pela exibição de peças contemporâneas. É sempre muito curioso o que sai da mente de uma pessoa, e ainda mais fixe o que uma pessoa consegue fazer para tornar algo numa realidade, algo tocável, com algo que criámos na nossa mente.

Aproveitei a oportunidade para visitar o parque à volta, também cheio de peças que se encaixavam com a natureza. Mas a hora do almoço aproximava-se e eu tive uma excelente ideia. Saí dali e fui até ao Mercado Municipal e escolhi um sítio muito especial para almoçar. Em Agosto de 2015, uma grande amiga e colega de trabalho pediu-me para a acompanhar até àquele mercado para experimentar naquele mesmo lanchonete… esperem… um enorme pastel de camarão! Altamente não é?

IMG_4103

Parecia uma louca a comer aquele maravilhoso pedaço de comida, pois estava mesmo fantástico, como um sonho tornado realidade. Eu tive umas imensas, profundas e verdadeiras saudades dos pastéis! Estou viciada, é a única conclusão razoável que encontro! E lá fiquei por um bocado a comer e a desfrutar!

Satisfeita e com um sorriso na cara, explorei o resto do mercado, cheio de tudo o que é imaginável. Mas tenho de fazer uma referência especial à fruta. Uou! Comi um ananás, muito muito bom! E não comi mais nada pois estava a rebentar!

Depois, fui visitar a rua 25 de Março, a rua do comércio. Passei por lá só para ter a certeza que nada tinha mudado, e não mudou de facto. Exactamente a mesma rua, a mesma confusão de pessoa e bens. Mesmo assim, foi bom voltar a ver tudo aquilo.

Depois apanhei o metro e saí na Avenida Paulista. Tinha de lá ir, era importante!

Caminhei até ao MASP, o museu arte moderna, para desfrutar da vista. Naquela avenida vemos de tudo, ricos, pobres, estudantes, profissionais, comerciantes de rua, artistas locais… Não tenho palavras para descrever. Havia muitos sentimentos naquele momento, mas o melhor deles todos era a sensação de estar em casa!

Voltei a Pinheiros, pois a razão pela qual voltei ao Brasil ia começar, Capoeiragem. O evento começou por volta das 19h no SESC de Pinheiros. Muitas pessoas vieram e foi muito bom vê-los a todos novamente. Fizemos uma aula orientada pelo mestre Toni Vargas, que se parece com um pirata simpático – e digo isto como um grande elogio. Ele foi altamente, muito paciente e sempre disponível para nos ensinar e nos tornar melhores capoeiristas.

A noite acabou com todos nós no nosso lanchonete preferido “Rei de Pinheiros”, a comer, a dançar. Quanto a mim, aproveitei a oportunidade para falar com toda a gente, pois tinha de aproveitar o tempo que me tinha sido dado. Mas só pelo facto de olhar à minha volta e ver caras tão familiares já me pôs muito feliz.

Mas o dia tinha de acabar, e o seguinte prometia ser ainda melhor. Conto-vos tudo no próximo post.

Até breve

Ana

Hello! And the adventure in Brazil continues with day 4, December 11th 2015.

This time, I went all the way to Luz station to start my day in a way that is most disturbing and curious at the same time. As I walk on the train station, I see the usual crowd, typical of big city like São Paulo, and, completely alienated from all the excitement of another day’s work, a woman, probably homeless and most probably high, dancing samba to the sound of a mystery music on her mp3. This reinforces what I said on my last post, that despite all the misery in Brazil, people somehow find their happiness. But it doesn’t change the fact that is still a very sad thing, from the point that is undeniable the horrible state in which we can find some people.

Passing the crowd to the other side of the station, I crossed the street to finally visit Pinacoteca, some kind of a museum. All the information can be found here: http://www.pinacoteca.org.br/

Right in front of it there’s the Museum of the Portuguese language, that I visited back in July 2015, and that, ironically, burned out exactly one week after I left Brazil. I personally got very sad because I truly loved the museum. It was most interactive, and full of curiosities, not only debating its origins from the Portuguese colonization, but also exploring the indigenous influences of culture and language. Well, I suppose the Government will do something about, and maybe turn the museum even funnier than it was before.

I got lost in Pinacoteca, not because of its greatness, but because of the exhibition of contemporary pieces. It’s  very very curious what comes out of a person’s mind, and even cooler what a person can do to turn into a reality, a touchable thing, with what we create in our minds.

I took the opportunity to visit the park around, very agreeable, also full of pieces that combined with the nature around. But lunch time approached and I had an awesome idea. So I got out of there and walked to the Municipal Market, and chose a very special place to lunch. In August 2015, my very good friend and work colleague asked me to accompany her to that same market to try out on that very same lanchonete, Wait for it…. A huge shrimp pastry! Awesome ah?

IMG_4103

I looked like a crazy person eating that wonderful piece of food, for it was fantastic, like a dream come true. I immensely, deeply, truly missed pastries! I’m addicted, that’s the only reasonable conclusion for this! And there I stayed for a while, eating, enjoying!

Satisfied and a smile on my face, I explore once more that market, full of everything imaginable. But a special reference to the fruit. Uou! I tried out some pineapple, very, very good! I didn’t eat nothing more for I was completely full!

Then, it was time to visit the street of 25 de Março, the trade street. I went there to simply check out if it was any different, which it wasn’t. Exactly the same, the same old mess of people and goods. Still it was good to walk around and check it.

Then, I caught the metro in rush hour, and got out in Avenida Paulista. I had to go there, it was important!

I walked until MASP, the museum of modern Art to enjoy that awesome view. On that Avenue, it is possible to see all kinds of people, rich, poor, students, professionals, street traders, local artists… I don’t have words to describe it! There were a lot of feelings hanging around, but the greatest one was the feeling of home!

Anyway, I got back to Pinheiros, for the reason I came again to Brazil was about to start, Capoeiragem. The event started around 19h in SESC of Pinheiros. A lot of people came, it was great to see them all again. We did a class oriented by Master Toni Vargas, who looks like a very nice pirate – I say this as a huge compliment. He was awesome with us, very patient, and always available to teach us and making us better capoeiristas.

The night ended with all of us in our favourite lanchonete “Rei de Pinheiros”, eating, dancing. As for me, I took the opportunity to talk with everyone, for I had the take all the time that I had. But just for looking around and see such familiar faces it made me very happy.

But that day needed to end, and the next one promised to be even better. I will tell you all about it next time. See you!

Ana

Advertisements

Published by

anavingada

I'm dreamer and a writer. Changing the world is my greatest ambition. I studied International Relations and I love everything related to the environment and animal species. I never miss a chance to travel feel the adrenaline of trying on new things. Dancing is my hobby and Capoeira is my passion. Chocolate and movies are my addictions. Life is a challenge! "Laughter is timeless, imagination has no age, and dreams are forever." Walt Disney

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s